O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

DESTAQUES SEMANAIS

Décimo quarto DTC - O Reino de Deus revelado aos pequenos.

04/07/2020

14º Domingo do Tempo do Discipulado e da Missão – A:

Domingo dos Segredos do Pai

 

Mateus 11,25-30

Nosso encontro, hoje, é com o Senhor que celebra alegremente a ternura do Pai, o qual privilegia aqueles e aquelas que o mundo menospreza e exclui. Cantaremos, com mais alegria do que nunca, “porque o Senhor é bom” e revela seus segredos a quem os sábios e entendidos do mundo considera ignorante. Se, durante semana que passou, tivermos tido ouvidos para ouvi-los - as crianças, os idosos, os iletrados, os bêbados, as prostitutas, os marginais, aqueles e aquelas que ninguém escuta - chegaremos enriquecidos, preparados e motivados para escutar o alegre desabafo de Jesus. Cantaremos suavemente porque a ternura do coração de Cristo, “manso e humilde”, nos contagia e nos faz repousar.

 

O semestre inicia em meio às incertezas da crise sanitária, agravada pela crise política.

Pela frente temos desafios imensos:

- Mais uma eleição para os poderes Executivo e Legislativo Municipais, com datas adiadas, e queira Deus a gente chegue a novembro em condições de realizá-la. Mais que nunca, é preciso começar cedo a interessar-se pelo assunto, com a consciência de que fazer Política, como esforço pela construção do Bem Comum é a forma mais eficaz e abrangente de Amor ao próximo... Não é possível que a gente não tenha aprendido a lição de que “voto não tem preço, tem consequências”... Estamos pagando caro por conta de uma maioria enganada e iludida (ou perversamente egoísta), que fez as piores escolhas para o Congresso Nacional e para a Presidência da República.

- É hora de começar de baixo, pelos municípios, a reconstrução do país, destruído por uma política genocida, que não só descuida da Saúde do povo, como destrói a Legislação Trabalhista, a garantia dos Direitos da Classe Trabalhadora, e a soberania do país. Vamos vendo quem tem realmente compromisso com a gente, com a Classe Trabalhadora!

- Se soubermos escolher bem vereadores e vereadoras, prefeitos, prefeitas, estaremos nos preparando para boas e acertadas escolhas, futuramente, em nível de Brasil.

- São “sinais dos tempos”! Esteja ligado, meu irmão, minha irmã, “em nome de Jesus”!

(3) Aclamação: ALELUIA

            (HIN III A, p. 158)

 

aleluia! aleluia! aleluia! aleluia!

Eu te louvo, ó Pai santo,

Rei do céu, Senhor da terra

aleluia! aleluia! aleluia! aleluia!

Os mistérios do teu Reino,

Aos pequenos, Pai, revelas!

aleluia! aleluia! aleluia! aleluia!

 

(4) Ofertório: SENHOR, MEU DEUS!

            (HIN III A, p. 297 – letra revisada)

 

Senhor, meu Deus, obrigado, Senhor,

porque tudo é teu!

 

1.É teu o pão que apresentamos,

   É tua a vida que levamos!

   Obrigado, Senhor!

 

2.É teu o vinho que trazemos,

   E as alegrias que vivemos!

   Obrigado, Senhor!

 

3.A tua vida é nossa vida,

   Em tua casa recebida!

   Obrigado, Senhor!

 

4.Participando de tua Cruz,

   Contigo estaremos na Luz!

   Obrigado, Senhor!

 

(5) Comunhão: Salmo 96 + Mt 11,28

                 (HIN III A, p. 253)

 

Venham todos a mim, venham todos,

vocês todos que estão fatigados,

pelo fardo da vida oprimidos,

que eu darei o repouso almejado!

 

1.Um canto novo ao Senhor,

Ó terras todas cantai!

Louvai seu nome bendito,

Diariamente acamai!

Sua glória, seus grandes feitos

Aos povos todos contai!

 

2.Ele é o maior dos senhores:

Merece o nosso louvor;

E mais que aos deuses todos

Nós lhe devemos temor.

Os outros deuses são nada,

Ele é do céu Criador!

 

3. Sabei que o Senhor é rei

E traz justiça a esta terra.

Alegre-se o mar e os peixes

E tudo o que o mundo encerra.

Os campos, plantas, montanhas

E as árvores da floresta!

 

4.Ele é o Senhor do universo

E faz justiça a seu povo.

 

(1) Abertura: Salmo 33 + Sl 48,10-11

(HIN III A, p. 156)

 

no meio de tua casa,

recebemos, ó Deus, a tua graça!

sem fim, nossa louvação,

pois a justiça está toda em tuas mãos!

 

1.Alegrai-vos no Senhor!

   Quem é bom venha louvar,

   Peguem logo o violão

   E o pandeiro pra tocar,

   Para Ele um canto novo

   Vamos, gente, improvisar!

 

2.Ele cumpre o que promete,

   Podem n’Ele confiar!

   Ele ama o que é direito

   E Ele sabe bem julgar;

   Sua Palavra fez o céu,

   Fez a terra e fez o mar!

 

3.Ele fez do mar um açude

   E governa os oceanos;

   Toda terra a Ele teme,

   Mesmo os corações humanos;

   Tudo aquilo que Ele diz

   Não nos causa desenganos.

 

4.Põe abaixo os planos todos

   Desses povos poderosos

   E derruba os pensamentos

   Dos malvados orgulhosos,

   Mas os planos que Ele faz

   Vão sair vitoriosos!

 

(2) Salmo de resposta: BENDIREI Sl 145

                            (HIN III A, p.157)

 

bendirei eternamente

vosso nome, ó senhor

 

1.Ó meu Deus, quero exaltar-te, ó meu Rei,

E bendizer o vosso nome pelos séculos!

Todos os dias haverei de bendizer-vos,

Hei de louvar o vosso nome para sempre!

 

2.Misericordia e piedade é o Senhor,

Ele é amor, é paciência, é compaixão!

O Senhor é muito bom para com todos,

Sua ternura abraça toda criatura!

 

3.Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem

E os vossos santos com louvores vos bendigam!

Narrem a glória e o esplendor do vosso Reino

E saibam proclamar vosso poder!

 

4.O Senhor é amor fiel em sua Palavra,

É santidade em toda obra que ele faz!

Ele sustenta todo aquele que vacila

E levanta todo aquele que tombou!

 

Aos povos há de julgar,

Reinando no mundo todo.

Por isso, a ele cantai,

Ó terras, um canto novo!

 

A ATUAÇÃO DOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE!

 

A imensa maioria do povo de Deus é constituída por leigos. A seu serviço, está uma minoria: os ministros ordenados. Cresceu a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja. Embora não suficiente, pode-se contar com um numeroso laicato, dotado de um arraigado sentido de comunidade e uma grande fidelidade ao compromisso da caridade, da catequese, da celebração da fé.

 

A tomada de consciência dessa responsabilidade laical que nasce do Batismo e da Confirmação, contudo, não se manifesta de igual modo em toda parte; em alguns casos, porque não se formaram para assumir responsabilidades importantes, em outros por não encontrar espaço nas suas igrejas particulares para poderem exprimir-se e agir por causa de um excessivo clericalismo que os mantém à margem das decisões.

 

Apesar de se notar uma maior participação de muitos nos ministérios laicais, esse compromisso não se reflete na penetração dos valores cristãos no mundo social, político e econômico; limita-se muitas vezes às tarefas no seio da Igreja, sem empenho real pela aplicação do Evangelho na transformação da sociedade.

 

A formação dos leigos e a evangelização das categorias profissionais e intelectuais constituem um importante desafio pastoral.

 

Da Exortação Apostólica “A Alegria do Evangelho”, 102    (Os grifos são nossos).

 

DOWNLOAD DO ARQUIVO →